quinta-feira, 22 de julho de 2010

Sua mãe tem razão: Café da Manhã - Uma Escolha Saudável


Durante o tempo que passamos dormindo nosso corpo enfrenta um longo período em jejum, apenas gastando a energia que está armazenada e o que ficou disponível na circulação, como conseqüência das últimas refeições realizadas no período de vigília.
Café da Manhã.
Esse fator tem como resultado uma diminuição das reservas de “combustíveis” ess ências para o funcionamento do organismo.
Sabendo disso, o cérebro envia sinais para todo o corpo economizar energia durante esse período, tendo como conseqüência uma diminuição no metabolismo.
Com isso o café da manhã se torna uma das principais refeições do dia, servindo com uma forma de repor as energias perdidas durante o período de sono, fornecer energia para começar o dia e normalizar o nosso metabolismo, sendo o ideal para a obtenção desses benefícios realizar o café da manhã até 2 horas após acordado e consumi-lo de 15% a 30% do valor energético total (TIMLIN, 2007).

Porém com o dia-a-dia corrido e cada vez menos tempo devido ao estilo de vida adotado pela maioria das pessoas, sempre acordamos em cima da hora e quem sempre sai perdendo é o “café da manhã".
Porém há a necessidade de observar as conseqüências que isso pode trazer e programar pelos menos uns 15 minutos ao acordar para realizar um café da manhã gostoso e saudável.

Veja a seguir alguns estudos que demonstram a relação do café da manhã com a saúde e o aumento de peso quando não realizado:
  • Aumento da massa corporal
Estudos recentes demonstraram uma relação muito forte do aumento de sobrepeso e obesidade em pessoas que não realizam o café da manhã.
Isso pode ser explicado pelo fato do organismo ficar um longo tempo em jejum, entendendo assim que há necessidade de preservar energia, gastando o menos possível para a realização das tarefas básicas (MORENO 2007; RODRIGUEZ, 2006).

Outro aspecto importante a ser observado é quando se pula essa refeição, as escolhas alimentares na próxima refeição acaba sendo por alimentos mais calóricos e gordurosos (MORENO, 2007; RODRIGUEZ, 2006).
http://3.bp.blogspot.com/_y_GKdJNi36Q/Sqj_D6h5HZI/AAAAAAAABnY/rGKa8P-fcZs/s400/obesidade-infantil.jpg
  • Obesidade infantil
Algumas pesquisas na atualidade avaliaram as crianças que não realizavam o café da manhã e constataram um índice altíssimo de obesidade nessa faixa etária.
Os dados são preocupantes, por volta de 30% das crianças nessas condições apresentaram sobrepeso ou obesidade de acordo com o Índice de massa corporal (IMC).
Também foi observado um consumo muito inferior de frutas e vegetais dessas crianças em relação as crianças que realizam o café da manhã habitualmente (SONG; SCHULZ, 2005).

Aumento das chances de dislipidemias e doenças crônicas
Ao analisar o perfil lipídico das pessoas que não realizam o café da manhã, foi constatado um aumento dos níveis de lipoproteína de baixa densidade (LDL) e dos níveis de colesterol sanguíneo.
O motivo ainda não é totalmente esclarecido, mas um dos motivos pode ser a preferência por alimentos mais calóricos e gordurosos.
Esses motivos podem favorecer alterações no metabolismo, que com o passar dos anos pode ser o motivo do desenvolvimento de algumas doenças crônicas (FARSHCHI, 2004; 2005).

  • Café da manhã e desempenho cognitivo
Principalmente para as crianças, a realização do café da manhã está associada com a melhoria da aprendizagem na escola e nas práticas de diversas atividades, como o espo rte (MURPHY, 1998; VAISMAN, 1996).
Esses estudos sugerem que o café da manhã altera de uma forma positiva e significante a resolução de problemas e a memória a curto e longo prazo (VAISMAN, 1996; DYE, 2000).

Além de ser uma refeição gostosa, é fundamental realizar um café da manhã adequado para ter mais energia durante o dia e uma vida mais saudável.
Não é necessário ser uma grande refeição, mas sim uma porção de nutrientes capaz de estimular o metabolismo e fornecer nutrientes para as diversas funções específicas do organismo.

Esta refeição deve conter no mínimo 15% das calorias necessárias do dia e o critério de escolha para os alimentos é baseado na função que desempenha cada nutriente.
http://4.bp.blogspot.com/_V2cQunhpI9Q/TBgaUFQ5BKI/AAAAAAAAAfA/PS83oiJ-7D8/s640/cafe-da-manha.jpg
O que não pode faltar no café da manhã?
- Cereais integrais, pães e biscoitos são boas fontes de carboidratos, nutrientes responsáveis pelo fornecimento de energia;
- Leite e derivados fornecem as proteínas, que são responsáveis pela formação e manutenção dos tecidos, e aind a fornecem o cálcio, que é um mineral importante na formação e manutenção do tecido ósseo e na contração muscular;
- Frutas e suco de frutas, fornecem vitaminas e minerais, responsáveis pela regulação de diversas funções no organismo.
É importante salientar que optar pelos alimentos integrais como cereais pães e biscoitos integrais, garante mais fibras e antioxidantes para a dieta.
Estes nutrientes auxiliam o bom funcionamento intestinal e ainda previnem doenças.



bibliográficas

DYE, L.; LUCH, A.; BLUNDELL, J.E. Macronutrients and mental performance. Nutrition, v.16, p.1021-34, 2000.
FARSHCHI, H.R.; TAYLOR, M.A.; MACDONALD, I.A. Beneficial metabolic effects of regular meal frequency on dietary thermogenesis, insulin sensitivity, and fasting lipid profiles in healthy obese women. Am J Clin Nutr, v. 81, p.16-24, 2005.
FARSHCHI, H.R.; TAYLOR, M.A.; MACDONALD, I.A. Regular meal frequency creates more appropriate insulin sensitivity and lipid profile s compared with irregular meal frequency in healthy lean women. Eur J Clin Nutr, v. 58, p. 1071- 7, 2004.

MORENO, L.A.; RODRIGUEZ, G. Dietary risk factors for development of childhood obesity. Curr Opin Clin Nutr Metab Care, v.10, p. 336-41, 2007.
MURPHY, J.M.; PAGANO, M.E.; MACHMANI, J. The relationship of school breakfast and psychosocial and academic functioning. Arch Pediatr Adolesc Med, V.152, P.899-907, 1998.
RODRIGUEZ, G.; MORENO, L.A. Is dietary intake able to explain differences in body fatness in children and adolescents? Nutr Metab Cardiovasc Dis, v.16, p.294-301, 2006.
SCHULZ, M.; NOTHLINGS, U.; HOFFMANN, K. Identification of a food pattern characterized by high-fiber and low-fat food choices associated with low prospective weight change in the EPIC–Potsdam cohort. J Nutr, v.135, p. 1183-9, 2005.
SONG, W.O.; CHUN, O.K.; OBAYASHI, S. Is consumption of breakfast associated with body mass index in US adults? J Am Diet Assoc, v.105, p.1373-82, 2005 .
TIMLIN, M.T.; PEREIRA, M.A. Breakfast frequency and quality in the etiology of adult obesity and chronic diseases. Nutr Rev, v.65, p.268-81, 2007.
VAISMAN, N.; VOET, H.; AKIVIS, A. The effects of breakfast timing on the cognitive function of elementary school students. Arch Pediatr Adolesc Med, v.150, p.1089-92, 1996.

Nenhum comentário: